Páginas

domingo, agosto 02, 2009

Fada da Imaginação



























Um medo da vida


Semente assustada com a terra


Flor fugindo do sol


Gota de orvalho querendo tempestade


Encantada com a dor


Espanta sonhos e beijos


Para longe de seus olhos





Cada manha um pouquinho do fim


Que nunca começa nem chega


Em camas desesperadas por ouro em pó


De tanto sentir dor da solidão


Acredita ser fada do prazer





Não tem vassoura nem voa


Deusa da imaginação em corpo de colibri


Encanta passos em sua direção


Perdida por medo de amar





A lua inveja sua beleza


Olhos se fecham sem espelhos


Encantadora sem crer no amor


Desesperada na escuridão


Deixando mãos escaparem


Por medo de viver.

Um comentário:

Pedro César disse...

"...é ouro,
é ouro,
é ouro em pó que reluz...
o sul,
a sorte,
a estrada em seduz...
é ouro,
é ouro,
é ouro em pó que reluz..."
Ednardo.